Ibict negativo 65
Quinta, 05 Setembro 2019 14:45

Portal da Biodiversidade é lançado

Mais de 1,8 milhão de registros de coleta de espécimes da fauna e flora brasileiras estão disponíveis no Portal da Biodiversidade

Percebendo a necessidade de integrar dados e gerar informações de qualidade sobre a biodiversidade do Brasil, o Ministério do Meio Ambiente (MMA) e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) lançaram nesta última quinta-feira (26), em Brasília, o Portal da Biodiversidade 

Reunindo informações de bases de dados mantidas pelo ICMBio — principalmente do Sistema de Autorização e Informação em Biodiversidade (Sisbio)  — e pelo Jardim Botânico do Rio de Janeiro, a plataforma virtual disponibiliza informações e mapas de distribuição e ocorrência das espécies da fauna e flora brasileiras, das espécies ameaçadas de extinção, e oferece  ferramentas geoespaciais para a visualização desses dados associados às unidades de conservação federais, terras indígenas, biomas, cavernas e áreas prioritárias para conservação. 

Desenvolvido por pesquisadores da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (EPUSP), o portal possibilita o acesso público ao rico universo científico que conta com quase dois milhões de registros de coleta. Fruto da parceria entre o MMA e o ICMBio, a iniciativa foi apoiada pela Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ), no âmbito da Cooperação Brasil-Alemanha para o Desenvolvimento Sustentável. 

Durante o lançamento, Bráulio Dias, o brasileiro que ocupa o principal posto mundial quando o assunto é biodiversidade, o de secretário-executivo da Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB) – tratado da Organização das Nações Unidas que estabelece normas sobre uso e proteção da diversidade biológica em mais de 160 países signatários – parabenizou a iniciativa que, segundo ele, está alinhada às mais avançadas do mundo e à CDB, que preconiza o intercâmbio de informações, de todas as fontes disponíveis do público, pertinentes à conservação e à utilização sustentável da diversidade biológica. 

O secretário-executivo do MMA, Francisco Gaetani, pontuou que a iniciativa valoriza a biodiversidade brasileira e o trabalho em rede, estimulando estudantes e pesquisadores. “A sociedade brasileira precisa se apropriar da agenda ambiental”, afirmou ele destacando que o Portal é fruto da integração de várias bases de dados mantidas ou apoiadas pelo ICMBio.

Já o presidente-substituto do ICMBio, Marcelo Marcelino, ressaltou o papel do Portal como instrumento de organização e integração de dados. “O portal é uma ferramenta de integração de dados e informações, alguns obtidos há mais de 30 anos, e que estão, finalmente, à disposição da sociedade”. Ao longo da sua exposição, ele enfatizou que, apesar dos importantes avanços no País, é preciso ainda um grande esforço para a compilação de dados e qualificação da informação. “Por vezes, não é possível acessar de forma rápida e direta importantes dados que deveriam dar suporte a um plano de ação que resguarde a biodiversidade”, disse ele, citando como exemplo a recente tragédia ocorrida em Mariana (MG). “A falta de dados estruturados e padronizados acaba dificultando a implementação de ações efetivas e também impede que os reais impactos sejam dimensionados”.

Por sua vez, a coordenadora do Sistema de Informação sobre a Biodiversidade Brasileira (SIBBr), do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Andrea Nunes, avaliou que o Brasil tem uma grande capacidade de geração de dados em biodiversidade. Ela destacou que o maior desafio é tornar esses dados menos dispersos e mais acessíveis.

Também esteve presente o ministro de Assuntos Econômicos e Temas Globais da Embaixada da Alemanha, Christoph Bundscherer, que destacou a cooperação binacional na área de meio ambiente e ciência e tecnologia. 

Para o presidente da Sociedade Brasileira de Genética, Fabrício Rodrigues, um dos representantes da comunidade científica presentes no evento, “a plataforma pode direcionar pesquisas específicas, auxiliar no planejamento de ações e fornecer subsídios para as estratégias de manejo”.

O lançamento foi seguido de palestras que tratoram dos desafios para potencializar o uso dos dados de biodiversidade na gestão ambiental. Um dos palestrantes, Alex Bager, da Universidade Federal de Lavras, apresentou o aplicativo Urubu, que pode ser usado por qualquer cidadão para fotografar animais atropelados. As fotos enviadas por meio do aplicativo ajudam a entender onde e como as estradas devem ser melhoradas para evitar atropelamentos.

 

Equipe Canal Ciência
27/11/15

Última modificação em Terça, 01 Outubro 2019 15:00

Redes Sociais

CBPF - Centro Brasileiro de Pesquisa Científica
Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá
Instituto Nacional do Semiárido (Insa)
Museu de Astronomia e Ciências Afins
CETEM - Centro de Tecnologia Mineral
IMPA - Instituto de Matemática Pura e Aplicada
 Instituto Nacional de Tecnologia (INT)
Museu Paraense Emílio Goeldi
Cetene - Centro de Tecnologias Estratégicas do Nordeste
INPA - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
Laboratório Nacional de Astrofísica - LNA
Observatório Nacional
CTI - Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer
INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais
Laboratório Nacional de Computação Científica
Agencia Espacial Brasileira
Ouvidoria
Ouvidoria
Acesso a informação
Image

Setor de Autarquias Sul (SAUS), Quadra 5, Lote 6, Bloco H CEP: 70070-912 - Brasília, DF

Busca