_NOSCRIPT

Portal do Governo Brasileiro
canal-ciencia

Busca Avançada

Einstein: vida, obra e descobertas

Einstein

Albert Einstein foi laureado com o Prêmio Nobel de Física em 1921, entrando para o rol dos maiores gênios da humanidade por seus trabalhos sobre o efeito fotoelétrico e a teoria quântica. Reconhecido principalmente por ter desenvolvido a Teoria da Relatividade, o físico e matemático tornou-se mundialmente famoso e suas descobertas provocaram uma revolução no pensamento humano.

De família judia, Einstein nasceu em 1879 na cidade de Ulm, na Alemanha. Quando tinha um ano, sua família mudou-se para Munique e aos dez anos ele ingressou no ginásio, dando início a sua preparação para entrar na universidade. Em 1896, aos 17 anos, renunciou à cidadania alemã com o intuito de evitar o serviço militar alemão.

Em 1900, o jovem Einstein conclui a graduação em Física na Escola Politécnica Federal da Suíça. Um ano depois, escreveu seu primeiro artigo científico ‘A investigação do estado do éter em campo magnético’, tendo nesse mesmo ano recebido a naturalização suíça. Em 1903, casou-se com a matemática sérvia, Mileva Maric, com quem teve três filhos.

O ano de 1905 foi miraculoso na vida científica de Albert Einstein, que publicou importantes artigos, sendo que três revolucionaram a Física. Entre eles, o que abordou o efeito fotoelétrico. No decorrer daquele ano, formulou e publicou a teoria da relatividade restrita. Nesse artigo, o físico estabeleceu uma relação entre os conceitos de tempo e espaço. O trabalho baseou-se na ideia de Galileu de que as Leis da Natureza são as mesmas para todos os observadores que se movem a uma velocidade constante, relativamente uns aos outros; e na ideia de que a velocidade da luz é a mesma para todos os observadores. A relatividade restrita tem algumas consequências importantes, já que são rejeitados conceitos absolutos de tempo e espaço.

Em outro artigo, Einstein introduziu o conceito de massa inercial. Nele, o físico deduziu a famosa relação entre a massa e a energia, representada pela fórmula E=mc2. Essa equação esteve na base de construção de bombas nucleares e serviu, mais tarde, para explicar como o Big Bang, uma explosão de energia, deu origem à matéria.

Depois da publicação de vários artigos, o talento de Einstein foi consagrado e em 1909, com 30 anos, tornou-se professor na Universidade de Zurique e, no ano seguinte, na Universidade de Praga. Em 1912, ocupou a cadeira de Física da Escola Politécnica Federal da Suíça. A figura carismática de Einstein prestou-se admiravelmente à difusão da ciência pela capacidade dele de chamar a atenção do grande público. O físico também escreveu dois livros voltados para o público não especializado: ‘Introdução à Teoria de Relatividade Especial e Geral’ e ‘A Evolução da Física’, este em parceria com Leopold Infeld.

Em 1913, foi designado professor da Universidade de Berlim, diretor do Instituto Kaiser Wilhelm de Física e membro da Academia de Ciências da Rússia. Tornou-se novamente cidadão alemão. Em 1915, enunciou a Teoria Geral da Relatividade e em 1921 recebeu o Prêmio Nobel de Física.

Einstein esteve no Brasil em maio de 1925, quando foi recebido pelo presidente Artur Bernardes. Durante sua estadia no país, ele fez conferências, visitou universidades e importantes instituições científicas, como o Observatório Nacional, o Museu de História Natural (atual Museu Nacional) e o Instituto Oswaldo Cruz.

Prevendo que o nazismo tomaria o controle da Alemanha, Einstein deixou Berlim em 1932 e foi para a Califórnia, Estados Unidos. Após essa visita, renunciou aos seus cargos em Berlim e retornou aos Estados Unidos em 1933, ingressando no Instituto de Estudos Avançados de Princeton. Sete anos depois, ganhou cidadania norte-americana.

Em 1945, o brilhante físico encerrou sua carreira, passando  os últimos anos de sua vida completamente contra a produção de armas nucleares. Einstein morreu em abril de 1955, em Princeton, Nova Jersey, aos 76 anos.

Frases:

"A mais linda experiência que podemos ter é o misterioso. É a emoção fundamental, berço da verdadeira arte e da verdadeira ciência. Quem quer que não a conheça e já não possa imaginar ou se maravilhar está morto."

“Fazendo a mesma coisa dia após dia, não há de se esperar resultados diferentes”

“Algo só é impossível até que alguém duvide e acabe provando o contrário”