Ibict negativo 65

Nossa Política Editorial

Considerando nossa missão institucional, a política editorial do Canal Ciência assume como compromisso a efetiva popularização das melhores pesquisas, produtos e serviços científicos e tecnológicos de origem nacional em linguagens, formatos e meios que permitam atrair e cativar nosso público alvo: estudantes de todos os níveis e idades.  

As várias seções do Canal, orientadas à divulgação científica brasileira, se destacam por adotar linguagem simples, direta e não especializada, buscando diversificar seus conteúdos de forma ampla e equilibrada ao abordar iniciativas interessantes e de notável relevância dentro das diversas Áreas do Conhecimento oficialmente adotadas no Brasil, a saber:

  • CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA: Matemática; Probabilidade e Estatística; Ciência da Computação; Astronomia; Física; Química; Geociências.
  • CIÊNCIAS BIOLÓGICAS: Oceanografia; Biologia Geral; Genética; Botânica; Zoologia; Morfologia; Fisiologia; Bioquímica; Biofísica; Farmacologia; Imunologia; Microbiologia; Parasitologia; Ecologia.
  • ENGENHARIAS: Engenharia Civil; Engenharia Sanitária; Engenharia de Transportes; Engenharia de Minas; Engenharia de Materiais e Metalúrgica; Engenharia Química; Engenharia Nuclear; Engenharia Mecânica; Engenharia de Produção; Engenharia Naval e Oceânica; Engenharia Aeroespacial; Engenharia Elétrica; Engenharia Biomédica.
  • CIÊNCIAS DA SAÚDE: Medicina; Nutrição; Odontologia; Farmácia; Enfermagem; Saúde Coletiva; Educação Física; Fonoaudiologia; Fisioterapia e Terapia Ocupacional.
  • CIÊNCIAS AGRÁRIAS: Agronomia; Recursos Florestais e Engenharia Florestal; Engenharia Agrícola; Zootecnia; Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca; Medicina Veterinária; Ciência e Tecnologia de Alimentos.
  • CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS: Direito; Administração; Turismo; Economia; Arquitetura e Urbanismo; Desenho Industrial; Planejamento Urbano e Regional; Demografia; Ciência da Informação; Museologia; Comunicação; Serviço Social.
  • CIÊNCIAS HUMANAS: Filosofia; Teologia; Sociologia; Antropologia, Arqueologia, História; Geografia, Psicologia; Educação; Ciência Política. 
  • LINGUÍSTICA, LETRAS E ARTES: Letras; Linguística; Língua portuguesa; Línguas estrangeiras modernas e clássicas; Línguas indígenas; Literatura brasileira; Literaturas estrangeiras modernas e clássicas; Artes; Artes plásticas; Pintura; Desenho; Gravura; Escultura; Tecelagem; Música; Canto; Dança; Coreografia; Teatro; Dramaturgia; Cenografia; Ópera; Fotografia; Cinema; Vídeo; Educação artística.
  • MULTIDISCIPLINAR: Ciências interdisciplinares; Meio Ambiente e Agrárias; Sociais e Humanidades; Engenharia, Tecnologia e Gestão; Saúde e Biológicas; Ensino; Ensino de Ciências e Matemática; Materiais; Biotecnologia; Ciências Ambientais.

Prezando pelo equilíbrio na difusão de conhecimentos entre esses campos, o Canal Ciência busca abordar temas de forma equivalente à quantidade de conteúdos disciplinares inseridos em cada categoria. Ou seja, caso alguma dessas grandes áreas científicas apresentem menor produtividade do que outras no contexto geral do país, nossa política editorial busca compensar as diferenças e incrementar a sugestao e prospecção de assuntos relevantes nas subáreas correspondentes. De forma geral, todas as seções de conteúdos do Canal Ciência, exceto aquelas com temáticas bastante específicas ou diferenciadas, adotam os critérios gerais descritos acima.

Nossa política parte da premissa de que a Ciência está em tudo e de que o método científico é o caminho mais adequado, senão único, para se levantar e testar hipóteses, provocar e aguçar curiosidades, solucionar problemas, esclarecer  dúvidas, responder perguntas e produzir novas questões, confrontar ideias e teorias, desenvolver o raciocínio crítico e lógico, estabelecer debates saudáveis e construtivos, gerar bons aprendizados, formar profissionais capacitados a desenvolver bons produtos, aprimorar boas práticas, inovar, facilitar e assegurar qualidade de vida em todos os sentidos.

Em suma, nossa política editorial visa formar bons cidadãos para exercer protagonismo e autoria em suas vidas pessoais e coletiva a partir do uso ético-crítico-reflexivo da informação e da comunicação para processar e produzir conhecimentos e subsidiar a resolução de problemas. Navegando pelo nosso Canal, você encontrará diversas Seções, cada qual com suas peculiaridades, conteúdos singulares e critérios editoriais próprios. Tais critérios editoriais específicos estão descritos de forma resumida na página inicial de cada Seção, cujo detalhamento mais amplo será apresentado a seguir.

Ciência em Síntese

Esta Seção traz resumos de textos de autoria de pesquisadores brasileiros (artigos científicos recém publicados) nas mais diversas áreas do conhecimento científico e de inovações tecnológicas nacionais. São sínteses de trabalhos originais, reescritas em linguagem simples, revisadas e aprovadas pelos próprios cientistas (autores da pesquisa). A ideia é divulgar com clareza o método e o processo de pensar e fazer ciência, e sua utilidade e aplicação prática para a melhoria da qualidade de vida da sociedade.

Basicamente, há duas possibilidades de inserção de conteúdos nesta Seção, sendo que a primeira e a mais frequente segue a política original do Canal Ciência de realizar a prospecção e a síntese de temas e artigos científicos por meio de sua equipe de pesquisadores e desenvolvedores de conteúdo. A outra forma decorre da produção dessa mesma síntese pelo próprio autor da pesquisa, produto ou serviço. 

Em ambas as situações os critérios são os mesmos. É necessário que o trabalho já tenha sido publicado em algum periódico indexado - quanto mais recente, melhor - e que o primeiro autor ou autor correspondente da pesquisa seja brasileiro (não importa se nascido no Brasil ou naturalizado). O trabalho precisa ter sido desenvolvido em parte ou no todo em território nacional, porém, não necessariamente por instituições brasileiras, nem mesmo que esteja publicado em revista científica nacional. O essencial é que já tenha sido publicado em alguma revista científica com nível de impacto A2 ou superior, conforme a classificação mais recente disponível pela plataforma Qualis Capes. Este critério busca assegurar a qualidade das pesquisas disseminadas no portal, uma vez que revistas com classificação alta adotam processos mais rigorosos de revisão por pares.

Embora qualquer pesquisa de qualquer Área de Conhecimento possa ser sintetizada e divulgada, existe prioridade a temas que o corpo editorial do Canal Ciência julgue ter mais relevância para a sociedade, sobretudo diante da dificuldade de se transformar determinados temas e artigos científicos em linguagem popular. Ao adotar esse critério de priorização, são consideradas as perspectivas de aplicação prática ou os impactos socioeconômicos e ambientais dos resultados da pesquisa, produto ou serviço em questão.

Para que seja divulgado no Ciência em Síntese, o Canal Ciência disponibiliza um formulário simplificado e estruturado no formato padrão de nossas publicações. Além de um título sugestivo, simples e interessante ao público, o formulário estabelece três questões básicas a serem preenchidas: (i) o que é a pesquisa; (ii) como a pesquisa é feita; e (iii) qual sua importância para a sociedade. Cada uma das questões permitem ser respondidas em no máximo 2.000 caracteres (sem espaço). A linguagem das respostas a estas questões deve ser iguamlente acessível ao público do Canal Ciência, podendo agregar eventulamente um pequeno glossário ou notas de rodapé explicativos de termos técnicos específicos. O texto precisa ser ilustrado de preferência com algumas imagens sugestivas, figuras ou tabelas, de acordo com a abordagem do assunto. Por fim, é divulgado o nome e a instituição do(s) autor(es) responsável(is), e-mail(s) de contato, título original do artigo, nome de evetuais instituições parceiras, endereço eletrônico da pesquisa/iniciativa ou da instituição responsável, fonte(s) financiadora(s), além de outras sugestões de leitura, que são indicações de textos, livros, cartilhas, vídeos ou websites publicados em linguagem informal, que complementem a pesquisa/iniciativa divulgada. Não são publicadas referências bibliográficas de artigos e monografias, sobretudo por estarem em linguagem técnico-científica.

Ao aceitar publicar no Ciência em Síntese, é necessário que o texto síntese receba a aprovação e a concordância dos próprios autores, isto é, dos cientistas responsáveis pela pesquisa original, especialmente o autor correspondente no artigo. O contato para a autorização da publicação é feito com o primeiro autor e com o autor correspondente. É prerrogativa deste(s) autor(es) optar ou não por informar e solictar autorização aos demais co-autores antes da publicação possa ir ao ar. O Canal Ciência informará aos autores envolvidos na aprovação do texto a data de quando será lançada a publicação no Ciência em Síntese.

Ao fazerem isso, os autores, cientistas brasilieiros, estarão contribuindo para a popularização da ciência no país, ao mesmo tempo em que poderão incluir esta publicação também como sua produção bibliográfica em “popularização de C&T“ em seus respectivos currículos na plataforma Lattes/CNPq.

 Equipe do Canal Ciência 

16/9/2019

Última modificação em Quarta, 18 Setembro 2019 12:45

Redes Sociais

CBPF - Centro Brasileiro de Pesquisa Científica
Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá
Instituto Nacional do Semiárido (Insa)
Museu de Astronomia e Ciências Afins
CETEM - Centro de Tecnologia Mineral
IMPA - Instituto de Matemática Pura e Aplicada
 Instituto Nacional de Tecnologia (INT)
Museu Paraense Emílio Goeldi
Cetene - Centro de Tecnologias Estratégicas do Nordeste
INPA - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
Laboratório Nacional de Astrofísica - LNA
Observatório Nacional
CTI - Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer
INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais
Laboratório Nacional de Computação Científica
Agencia Espacial Brasileira
Ouvidoria
Ouvidoria
Acesso a informação
Image

Setor de Autarquias Sul (SAUS), Quadra 5, Lote 6, Bloco H CEP: 70070-912 - Brasília, DF

Busca